Carregando... Aguarde...
  • Imagem 1

Trem para o Paquistão

R$ 39,00 (Você economiza R$ 6,10)
R$ 32,90
SKU: 9788561578190
Qtd
    Simule seu frete Calcular
    Compartilhe

    No verão de 1947, Índia e Paquistão, até então uma única colônia britânica, tornam-se duas nações independentes, precipitando a migração de mais de dez milhões de pessoas, muçulmanos da Índia fugindo para o Paquistão e de hindus e sikhs no caminho inverso. Enquanto parlamentares discursam sobre democracia em Délhi, multiplicam-se os mortos em confrontos entre os dois lados. A aldeia fictícia de Mano Majra, perto da fronteira com o Paquistão, permanece à margem dos conflitos. Ali, muçulmanos e sikhs convivem pacificamente, numa rotina ritmada pelos trens que passam - e raramente param - na estação local. Para eles, o único sinal de que algo mudou são os horários inconstantes dos trens cada vez mais cheios levando e trazendo refugiados. Quando um deles estaciona silencioso, o comissário de polícia, um militante político educado na Inglaterra e o bandido profissional local precisam se posicionar frente à ameaça de um massacre. Uma reflexão afiada não apenas a apenas sobre Índia pós-independência em busca de sua própria identidade, mas também sobre a intolerância e o fundamento religioso. Publicado em 1956, traduzido para vários idiomas, é considerado um dos livros mais importantes escritos na Índia no século XX.

    Este produto não recebeu nenhum comentário até agora. Seja o primeiro e enviar um comentário para este produto!

    Escreva seu próprio comentário para o produto

    Khushwant Singh, nasceu em 1915, na cidade de Hadali (hoje no Paquistão), província de Punjab, região ao noroeste da Índia que foi dividida em 1947 na separação entre Índia e Paquistão. Conhecido e respeitado na Índia como escritor e articulista, foi editor de periódicos, entre os quais o National Herald e o Hindustan Times. É autor de vários romances e também de obras de não-ficção sobre a religião e a cultura Sikh. Entre 1980 e 1986, Singh foi membro do Parlamento Indiano. Em 1974, recebeu o prêmio Padma Bhushan, que o autor devolveu em 1984 em protesto à ocupação pelo governo indiano do Templo Dourado.
    Em 2007, recebeu o Padma Vibhushan, o segundo mais importante prêmio cívico da Índia.

    Assine nossa Newsletter

    Ver Carrinho Realizar Pagamento